Em Pernambuco, 12.454 casos da Covid-19 foram confirmados em profissionais de saúde. Isso representa um terço do total de registros da doença no estado. Ao todo, 13.427 suspeitas em profissionais de saúde foram descartadas. Além disso, 125 casos ainda estão em investigação e 257 testes realizados nesse público apresentaram resultado inconclusivo.

As testagens abrangem os profissionais de todas as unidades de saúde, sejam da rede pública – estadual e municipal – ou privada. Pernambuco foi o primeiro estado brasileiro a criar um protocolo para testar os profissionais da área da saúde. 

Nesta terça-feira (9), a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou 305 novos casos da Covid-19. Entre os confirmados hoje, 131 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag) e 174 como leves. Agora, Pernambuco totaliza 41.010 casos já confirmados, sendo 16.091 graves e 24.919 leves.

Além disso, o boletim registra 23.721 pessoas curadas da Covid-19 no estado. Desse total, 6.554 são de casos graves e 17.167 casos leves. Os casos graves confirmados da doença estão distribuídos por 166 municípios pernambucanos, além do arquipélago de Fernando de Noronha e de ocorrências de pacientes de outros estados e países.

Também foram confirmados laboratorialmente 103 óbitos, sendo 42 do sexo feminino e 61 do sexo masculino. Agora, o estado totaliza 3.453 mortes pela doença. O aumento no número de mortes no boletim de hoje, de acordo com a SES-PE, está relacionado ao atraso na informação sobre a ocorrência dos óbitos pela rede hospitalar.

Do total, 60 óbitos (58,2%) ocorreram entre o dia 24 de abril e 5 de junho e 43 (41,8%) foram registrados nos últimos três dias. Os pacientes que morreram tinham idades entre 37 e 96 anos. As faixas etárias dessas pessoas eram: 30 a 39 (1), 40 a 49 (7), 50 a 59 (18), 60 a 69 (16), 70 a 79 (31), 80 ou mais (30).
Os novos óbitos foram de pessoas residentes em Abreu e Lima (1), Alagoinha (1), Belo Jardim (1), Cabo de Santo Agostinho (2), Camaragibe (2), Carpina (2), Caruaru (3), Casinhas (2), Garanhuns (3), Gravatá (1), Jaboatão dos Guararapes (13), Jataúba (1), João Alfredo (1), Juazeiro (1), Limoeiro (1), Nazaré da Mata (2), Olinda (4), Palmares (2), Pesqueira (1), Poção (1), Pombos (1), Recife (44), Ribeirão (2), Salgueiro (1), Saloá (1), Sanharó (1), Santa Cruz do Capibaribe (2), Santa Maria do Cambucá (1), Tuparetama (1), Vertentes (1), Vitória de Santo Antão (2) e outro estado (1).

Dos 103 óbitos, 39 apresentavam comorbidades confirmadas, como hipertensão arterial sistêmica (25), diabetes (20), obesidade (6), doença neurológica crônica (1), doença hepática crônica (1), doença renal crônica (5), doença cardiovascular (4), histórico de tabagismo (1), doença pulmonar (3), doença arterial obstrutiva periféica (1), doença de Alzhaimer (1), imunossupressão (1), câncer (1), leuceimia (1), etilismo (1), anemia (1). A Secretaria Estadual de Saúde esclarece que um paciente pode ter mais de uma comorbidade. Outros oito paciente não apresentavam condições preexistentes, e os demais casos ainda estão em investigação. 

DP