1.Prefeito Ricardo Pereira, o senhor chega a 2020 com um desafio a mais: Princesa Isabel é cidade polo da região da Serra do Teixeira, uma das principais ligações entre os estados da Paraíba e Pernambuco, tem um importante fluxo e a cidade já apresenta casos confirmados da Covid-19. A preocupação dos especialistas é o avanço do Coronavírus em cidades de até 50 mil habitantes onde naturalmente não há suporte de média/alta complexidade em saúde. As projeções apontam para o espiral entre maio e agosto. O que o governo de Princesa planeja implantar ou aprimorar?

“É um momento atípico para nós. Nenhum sistema de Saúde do Mundo está ou estava preparado. No Brasil é mais complexo ainda em razão do enorme território. O governo municipal implementou medidas necessários como a formação de um comitê gestor da crise com representantes da sociedade, intensificamos em rádio, redes sociais, carros de som e mídia educativa relacionada ao Coronavírus, barreiras sanitárias, lavabos públicos, dividimos o Hospital Regional ainda em março em alas de Síndromes Respiratórias Agudas, Urgência e Emergência e a manutenção das cirurgias obstétricas que naturalmente não podem ser adiadas ou canceladas. A Alta e Média complexidades é de responsabilidade do Governo da Paraíba, temos como referências imediatas para pacientes que tiverem quadros graves os hospitais de Patos, Piancó e Pombal. Essa regulação quem faz é o Estado. Mas a medida mais importante continua sendo o isolamento social. Isso depende de cada um de nós.”

2.         Há uma discussão e pontos de vistas diferentes, inclusive com cobranças e contestações em torno da aplicação dos recursos destinados ao combate a disseminação do coronavírus em Princesa. Quais as principais aplicações e quais os seus argumentos para contrapor o ponto de vista dos opositores que nesse momento também se opõem as medidas adotadas pela prefeitura?

“As cobranças que estão sendo feitas pela oposição em Princesa Isabel são resultado de desespero e politicagem. O momento é inoportuno. Vale ressaltar, claro, que o papel da oposição é fiscalizar, mas dentro desses critérios que foram adotados, como denegrir, baixar o nível do debate, não é salutar. Nós adquirimos EPI’s para todos os funcionários da linha de frente, temos barreiras sanitárias, kits de antissepsia para todas as gestantes e também aos 4 mil idosos, dados cadastrados das quase 600 pessoas que chegam de outra região ao município conforme orientado pelo MPPB. Nós tomamos medidas que poucos municípios o fizeram; distribuímos kits de alimentação e higiene aos alunos das redes de Educação estadual, municipal e IFPB. Estamos concluindo agora com o IFPB essa distribuição. Já estamos fechando o cronograma da segunda etapa e o total será de 9 mil kits – tudo com recursos próprios. Os investimentos estão sendo publicados na página oficial do governo. Lá tem uma aba exclusiva. É tudo transparente.”

3.         Em três anos de governo, qual as três principais obras e/ou ações que o senhor destaca?

“Foi importante a questão da infraestrutura do município. Entregaremos mais de 50 ruas calçadas até o final de 2020. Recuperamos investimentos importantes, como o projeto de Esgotamento Sanitário. Centro Especializado em Reabilitação que tiramos das páginas policiais e hoje serve ao povo de Princesa e região. A reestruturação da Educação de Princesa. Eram 1.715 alunos com perspectivas mínimas. Hoje temos quase 2.500 com kits escolares, garantia do transporte escolar, merenda de qualidade, gestores, docentes e parcerias que andam comprometidas com a Educação de qualidade, pagamento em dia do servidor público, um Instituto de Previdência Municipal que respeita o aposentado e pensionista com a garantia do pagamento das aposentadorias, adutora da Várzea, caixa d’água de Lagoa da Cruz, cerca de 50 cisternas, o equilíbrio fiscal com o compromisso de injetar mensalmente aproximadamente três milhões de reais na economia local, entre outros…não dá pra frisar só em três destaques.”

4.         Os seus adversários políticos adotaram o discurso de inelegibilidade. O que o senhor diz sobre isso? Qual o contraponto jurídico sobre esse discurso?

“O nosso processo não foi transitado em julgado. Já fomos absolvidos em processo similar. A gente vai ao STJ buscar o reconhecimento daquilo que o próprio Tribunal de Justiça já nos aplicou, nos absolvendo em um processo similar. Temos a convicção e confiança que no tempo certo esse entendimento será revisto. O que realmente abala os nervos da oposição é a nossa conjuntura, o que foi e está sendo construído durante um mandato sério. No âmbito político, nossa base aliada, o apoio que temos, um projeto exitoso.”

5.         Prefeito Ricardo, muito obrigado pela entrevista ao Portal A Notícia. Deixe uma mensagem aos princesenses.

“Pra governar a gente precisa de parcerias importantes. Tenho que destacar as parcerias com o ex-governador Ricardo Coutinho, com nosso governador João Azevedo, com o senador Veneziano, com os deputados Hervázio e Hugo Motta, com nossa base aliada na Câmara Municipal, com os aliados pré-candidatos e, principalmente, com a sociedade, o povo de Princesa. Minha gratidão a todos. A portal, agradeço pela gentileza.”

Foto: Ricardo Pereira

A Notícia